De que forma o SSO aumenta a produtividade das empresas?

Uncategorized
De que forma o SSO ( como política de segurança) aumenta a produtividade das empresas?

Com um número cada vez maior de aplicações à disposição, é muito comum que os usuários possuam uma infinidade de dados de login para acessar todos esses inúmeros serviços. 

Qual a quantidade média de logins e senhas que um usuário possui? Mesmo que uma pessoa se lembre de todos os seus dados de acesso, ainda assim ela perde tempo diariamente com o processo de autenticação de cada um desses serviços. 

 

Neste post você vai entender o que é SSO e como esse tipo de ferramenta pode garantir que você e a sua equipe tenham significativos ganhos de tempo e maior segurança no acesso às informações

 

SSO – Praticidade como lema 

Você já parou para pensar em quanto tempo você já perdeu fazendo a autenticação de serviços digitais? Com certeza absoluta você já deve estar bastante cansado de ler frases como: “confirme que você é humano” ou então “insira seu código de 2 fatores”

Essas práticas são importantes? Logicamente sim, afinal zelar pela política de segurança da informação é primordial, porém, quanto tempo é gasto nesse tipo de tarefa? Isso sem contar as vezes em que você deve ter se esquecido de suas passwords

O SSO – Single sign-on (login único) propõe trazer praticidade a essas tarefas, garantindo acessos automáticos e seguros, autenticados por meio de uma plataforma intermediadora. Entenda os detalhes a seguir. 

 

O que é SSO?

O SSO é basicamente uma plataforma de serviço de autenticação que registra os dados de login dos usuários e permite que os acessos a serviços sejam feitos sem a necessidade de autenticação. 

O único registro que precisará ser memorizado é exatamente o do SSO, em que o usuário contará com um token de acesso, contendo seus respectivos login e senha. 

A equipe de TI que gerenciará o background do SSO também terá grandes ganhos de produtividade e poderá habilitar e desabilitar o acesso dos usuários em múltiplos terminais, de uma forma muito simples, bastando para isso, ativar as opções. 

O objetivo é exatamente o da praticidade, além de garantir que as rotinas de seus usuários sejam muito mais seguras e de evitar que as senhas sejam esquecidas ou também fracas.

 

Como a ferramenta funciona

Alguns conceitos informais do meio tecnológico podem ajudar a trazer ainda mais clareza à explicação do funcionamento do SSO e sua política de segurança. 

Pense que todo serviço digital que você queira acessar, seja ele um software local, ou uma plataforma na nuvem, seja considerado provedor de serviços. Cada um desses serviços possui registros de acesso específicos (login e senha). 

Com a entrada do SSO, a responsabilidade pela autenticação dos acessos sairá do usuário e passará a ser do provedor de identidade

Existe a necessidade da realização do login apenas no primeiro acesso, para que o provedor de identidade possa armazenar com segurança as informações. Após isso, o usuário pode sinalizar se deseja parar de ser incomodado com a autenticação. 

Vale destacar que o SSO também sugere senhas complexas, com múltiplos caracteres, isso permite que você pare de cadastrar senhas com o nome de seu animal de estimação ou a data de nascimento de seu filho, por exemplo.

Esse processo não pode deixar os dados dos usuários mais vulneráveis? A resposta é não! Por trás do processo de logon do provedor de identidade existem mecanismos avançados de criptografia, que você entenderá logo abaixo. 

 

A arquitetura de um SSO

O provedor de identidade, ou mais especificamente, o sistema de SSO, deverá ser parte de sua infraestrutura de TI. Ou seja, a arquitetura desse tipo de serviço deve “conversar” em termos técnicos com o que já está em execução. 

A comunicação entre o provedor de serviços e o provedor de identidade ocorre por meio de certificados digitais de segurança e metadados, que se integram em padrões abertos, como SAML (Security Assertion Markup Language), OAuth ou OpenID.  

Esses protocolos, quando integrados, podem garantir um nível elevado de segurança na proteção dos dados do usuário, que pode acessar tranquilamente os seus serviços pulando a etapa da autenticação. 

 

A importância de fazer uso de boas práticas

Tudo bem, você já entendeu que essa é uma ferramenta capaz de transformar a sua relação com a segurança da informação e pretende utilizá-la. Mas antes disso, saiba que existem 5 boas práticas que você precisa conhecer! 

 

1  – Realize auditorias de segurança:

Por conta de utilizarem codificações de open source é crucial que os mecanismos de segurança próprios sejam incorporados ao provedor de identidade. 

Pense que essas ferramentas possuem um nível de segurança limitado, que só poderão atuar em seu máximo potencial, quando estiverem plenamente integradas à sua infraestrutura de TI.

Portanto, realizar auditorias de segurança durante a aquisição do SSO é a primeira das práticas que você deve ter em mente. 

 

2 – Reforce a autenticação de seu SSO:

Os seus provedores de serviços podem estar devidamente protegidos quanto ao acesso, mas e o seu próprio SSO? Se você precisa memorizar um único login, faça-o com excelência. 

É  importante que você utilize senhas complexas, com múltiplos caracteres aleatórios e também que conte com ferramentas de autenticação em duas etapas, assim seu único login estará ainda mais seguro. 

 

3 – Prepare a sua infraestrutura:

Concentre-se na segurança de sua ferramenta de SSO, porém não se esqueça que ao entorno da ferramenta existem outras tecnologias de encapsulamento que operam de forma alinhada.

Reveja o nível de segurança de sua infraestrutura por completo, acima de um sistema seguro para a autenticação dos usuários, é importante ter uma rede segura como um todo, com protocolos avançados de criptografia.

 

4 – Considere alternativas de segurança:

A utilização de protocolos de segurança alternativos podem oferecer uma camada extra de segurança à sua infraestrutura. 

Não é apenas o HTTPS que pode proteger o HTTP, FTPS e SFTP, como sugestão para o SSO. Existe também o protocolo LDAPS, que pode garantir uma conexão ainda mais segura. 

 

5 – Validação esporádica:

Por conta de ser uma ferramenta completamente ajustável, é importante que algumas medidas sejam tomadas para aprimorar a segurança dos usuários de sua rede. 

Algumas sugestões são: solicitar o login após um tempo muito elevado de inatividade e também se atentar para as informações que um provedor de serviços compartilha com um outro provedor de serviços.

Seguindo essas práticas de forma estratégica, ou seja, adequando-as à sua realidade, não tenha dúvidas de que você estará aproveitando ao máximo essa ferramenta inovadora, que é o SSO. 

 

Foco contínuo na segurança 

Administrar adequadamente os dados de uma empresa é uma grande responsabilidade. A não preocupação com a segurança da informação pode significar danos irreversíveis para a imagem de uma companhia. 

Para que você possa aprimorar os cuidados com as informações de sua empresa, a Global Gate disponibilizou um infográfico exclusivo, contendo diversos números do mercado a respeito do tema, além de dicas para fortalecer os seus cuidados.

Não deixe de baixar o material e também de continuar acompanhando o blog, para ficar por dentro das informações mais relevantes do mercado, que irão aproximar a relação do seu negócio com a segurança da informação digital.

Post a comment