Migração para a nuvem: riscos e cuidados que você precisa conhecer

Uncategorized
migração-para-a-nuvem

A mudança para a nuvem já estava em andamento quando a pandemia começou. Entretanto, diante da necessidade de isolamento social e da ampla adesão ao home office, as iniciativas de transformação digital se multiplicaram. Desta forma, os serviços de cloud computing têm sido explorados por empresas de todos os segmentos.

 

De acordo com estudo da Advance Consulting, 69% da infra das empresas de TI no Brasil devem estar em cloud até 2022. A verdade é que a migração para a nuvem é obrigatória para empresas que desejam se manter competitivas, com uma operação sempre acessível, bem como, com alto nível de eficiência.

 

Simultaneamente, tão importante quanto a estrutura é a segurança na nuvem. Com as equipes trabalhando remotamente, a segurança dos dados é ainda mais desafiadora. Gestor e times de TI vêm se esforçando para proteger tanto os profissionais quanto os sistemas. 

 

A mudança para o trabalho remoto aconteceu praticamente da noite para o dia, forçando muitas equipes de segurança a intensificarem seus esforços para garantir uma infraestrutura segura. 

 

No atual contexto, é preciso ter cuidado redobrado na transição da estrutura para cloud computing. Em suma porque esse projeto não pode abrir brechas para ataques cibernéticos. 

 

Nesta jornada rumo à migração para a nuvem, você já se deu conta do impacto da cloud computing na segurança dos dados

 

Neste artigo, abordamos a importância da modelagem de ameaças e mostramos como mitigar os possíveis impactos da migração para a nuvem, garantindo a segurança dos dados.

 

Migração para a nuvem: 3 principais riscos de segurança dos dados

 

A princípio, no projeto de migração para a nuvem, as empresas costumam se deparar com uma série de riscos que podem impactar na operação e comprometer a segurança na nuvem. Veja alguns deles:  

 

Perda de dados

As empresas estão cada vez mais armazenando dados confidenciais na nuvem. Cerca de 21% dos arquivos carregados para serviços de compartilhamento de arquivos baseados em nuvem continham dados confidenciais, incluindo propriedade intelectual, segundo estudo da IBM.

 

Portanto, sem uma política de segurança na nuvem, os cibercriminosos podem obter acesso à propriedade intelectual ou outros arquivos corporativos e pessoais.

 

A perda de dados é um dos riscos à segurança da nuvem difíceis de prever e ainda mais difíceis de controlar. O estudo da IBM apontou ainda que roubo de dados foi a atividade de ameaça mais comum observada em ambientes de cloud computing

 

Configuração incorreta

Em alguns casos, as organizações que transferem seus aplicativos e dados para a nuvem concedem permissão de acesso aos usuários, o que acaba abrindo novas superfícies de ataque e acesso não autorizado a ambientes de sandbox. 

 

Por exemplo, ao migrar de um data center local para o Amazon Web Services (AWS), os usuários podem abrir um gateway de conversão de endereço de rede (NAT) de um ambiente de rede híbrido. No entanto, essa ação permite que um servidor em nuvem use o gateway NAT para extrair conteúdo malicioso, como malware, de fontes remotas.

 

Ameaças internas e erros acidentais

Invariavelmente, os profissionais cometem erros que podem corromper, apagar ou expor dados de negócios durante o processo de migração para a nuvem.

 

Um colaborador pode compartilhar acidentalmente arquivos com informações confidenciais enquanto transfere cargas de trabalho de serviços internos controlados. O processo de migração para a nuvem também expõe dados e aplicativos a ataques internos de:

 

  • Colaboradores descuidados ou parceiros que manipulam mal, roubam dados confidenciais e instalam aplicativos não autorizados;
  • Um agente interno ou um colaborador trabalhando em nome de hackers externos para enviar informações. Neste caso, um ator externo recruta e paga o colaborador para extrair os dados.
  • Um funcionário insatisfeito que decide destruir dados da empresa para prejudicar e interromper as atividades de negócios.
  • Um provedor de serviços incompetente que compromete a segurança dos dados por meio de uso indevido, negligência e acesso não autorizado.

 

Segundo o estudo Verizon Threat Research Advisory Center, os benefícios financeiros motivam 47,8% dos usuários internos mal-intencionados, enquanto a espionagem causa 14,4% dos ataques internos deliberados. Um processo indefinido de migração para a nuvem oferece a esses profissionais mais facilidade na hora  de roubar dados.

 

Como então mitigar os riscos da migração para a nuvem? 

 

Neste contexto, é fundamental que o gestor de TI busque maneiras de garantir segurança na nuvem e recuperação de dados sempre que preciso. 

 

Para tanto, vale adotar algumas boas práticas importantes:

 

Promover a colaboração: incentive a governança e a cultura colaborativas para migrar a estrutura para cloud computing com sucesso. É importante que as equipes aprendam novas habilidades de segurança e considerem a infraestrutura de implantação completa como parte do processo de desenvolvimento e modelagem de ameaças.

Ter um roteiro para adotar a nuvem em fases: antes de embarcar na jornada de migração para a nuvem, faça uma avaliação baseada em risco para desenvolver um roteiro para a adoção da cloud computing em fases. Uma preparação cuidadosa salva a organização de ataques cibernéticos imprevistos e permite a adoção bem-sucedida da nuvem.

Ter políticas fortes de gerenciamento: adote ferramentas e políticas fortes de gerenciamento de acesso aos recursos disponíveis em nuvem. 

Adotar ferramentas de segurança corretas: para garantir a segurança na nuvem, o processo requer atenção e recursos adequados. Assim, é possível implementar o controle relevante para detectar e responder aos desafios de segurança enfrentados durante a migração para a nuvem.

Escolhendo o data center certo: o datacenter é o coração da estrutura computacional de uma empresa, onde fica armazenado todo o equipamento utilizado para armazenar e processar dados. Um bom data center deve garantir estabilidade, conectividade, infraestrutura de rede, backup, criptografia de dados, redundância de sistemas e recuperação de dados.

 

Agora, você já sabe como abordar os riscos de segurança dos dados e fazer da migração para a nuvem uma história de sucesso.

Quer saber mais sobre o papel do data center nesta jornada? Baixe nosso ebook sobre o tema!

Post a comment